O iminente estouro da bolha de UX

Thomaz Rezende Gonçalves
Head of UX
,
VALE DigitalLAB
UPDATE:

A pandemia mudou tudo em 2020.
Por isso este artigo foi revisitado por quem escreveu em entrevista para o UXNOW com apoio da Deeploy.me

Imperdível!

Ouça este artigo

Artigo narrado por quem escreveu!

Não é de hoje que a discussão sobre o nosso mercado fala de uma possível bolha de UX, existem várias publicações que abordam esse tema e propõem uma reflexão a respeito. Existem muitos sintomas dessa bolha facilmente observáveis no nosso cotidiano, certamente você já deve ter se deparado com alguns dos exemplos a seguir: 

  1. Temos vaga para UX Sênior: Necessário experiência de 3 anos trabalhando na área de UX;
  2. VAGA: UX Designer Júnior. Pretensão salarial: R$ 5.000,00 (QUE!?)
  3. Mentor de UX com 1 ano de experiência na área;
  4. "379" Cursos de UX por semana;

Mas há ainda quem duvide que esses sinais indiquem a existência de uma Bolha de UX.

Vivemos em bolhas

O termo bolha vem das especulações econômicas, e é a uma ocasião em que o valor ou preço de um ativo apresenta uma intensa inconsistência no valor/preço desse ativo, sem nenhuma motivação diretamente relacionada ao ativo. E isso  já aconteceu repetidas vezes na história da humanidade, vou citar alguns exemplos:

Bolha das Tulipas (1600)

No século 17 aconteceu a considerada, até hoje, a primeira grande bolha especulativa da história mundial. Na Holanda, houve uma onda de histeria coletiva por tulipas exóticas, causando um aumento absurdo no preço dessas flores, ao ponto de pessoas venderem suas casas e outros bens de valor para comprá-las.

Bolha de Bolsa (1929)

Conhecida como a Crise de 1929. Uma  imensa onda de especulações levou milhares de pessoas a investirem no mercado de ações, endividando-se para adquirir títulos da bolsa. Até que a queda dos valores ao longo do tempo culminou num pânico generalizado que levou ao colapso da Bolsa de Nova York, levando milhares de pessoas e empresas à falência. 

Bolha da Internet (2000)

A também conhecida como bolha das "pontocom"  surgiu com a popularização da world wide web (WWW), o valor de  mercado das empresas de tecnologia aumentaram descontroladamente, investidores correram para adquirir mais e mais títulos que se valorizavam irracionalmente. Até o que o mercado percebeu que essas empresas não eram rentáveis como a especulação indicava, e a bolha estourou. 

Bolha Imobiliária (2008)

A crise econômica mundial mais recente teve origem nas chamadas "hipotecas podres", conhecidas no mercado por  "subprime",  créditos com juros altos concedidos pelos bancos a pessoas que não tinham capacidade econômica para assumir as dívidas, o que levou ao estouro da bolha e à última grande crise econômica que vivemos.

Como podemos perceber, exemplos não faltam, e é justamente por essa repetição de bolhas que o termo acabou sendo incorporado ao nosso vocabulário para descrever todo e qualquer crescimento desenfreado de um modelo, mercado, profissão ou disciplina, sem uma razão racional e lógica.

Sempre que há abundância de crédito para pessoas físicas ou jurídicas, fazendo com que elas tenham dinheiro extra para investir em ativos, somado à gestões com baixa maturidade econômica e/ou o advento dos modismos e histerias coletivas sobre um determinado tema, configura-se o cenário perfeito para surgir um novo tipo de bolha: imobiliária, startups, criptomoedas, futebol, UX etc. 

Nesse sentido, podemos observar que o mercado de tecnologia, no qual o UX também está inserido, possui alguns sintomas que se apresentam como possíveis causas dessa bolha:

  1. Ansiedade das empresas de tecnologia e/ou startups em ser o novo próximo unicórnio; 
  2. A necessidade de pertencimento ao hype da "Era da Experiência";
  3. O desespero das grandes e tradicionais empresas em se tornarem mais "ágeis" e "jovens", tornando-se atrativas para a "nova geração que já nasceu digital";
  4. A narrativa do super-herói UX Designer, assumida pelos designers e consumida pelo mercado devido ao baixo nível de entendimento sobre o assunto; 

Efeitos Imediatos

Em uma rápida análise, puramente empírica e baseada nas informações disponibilizadas em artigos e pesquisas como as da @SaibaMais, acredito que os efeitos imediatos que a bolha do UX causam são: 

  1. Baixíssima barreira de entrada: processos seletivos sem critérios claros, gerando vagas com descrições subjetivas e/ou desconexas com a realidade da disciplina;
  2. Salários Inflacionados: profissionais em início de carreira pedem valores absurdos para nível júnior ou pleno;  
  3. Cursos, cursos e mais cursos: devido ao grande volume de pessoas entrando ou iniciando na área, abre-se a oportunidade para quem possui algum conhecimento, compartilhá-lo com outras pessoas. 
  4. Migração descontrolada: outro dia um amigo meu me disse que a irmã dele que havia ficado desempregada e que trabalhava na área da saúde, tinha ouvido falar de um tal de UX e que iria tentar migrar para essa área. Além da enorme quantidade de designers gráficos, diretores de arte, publicitários, jornalistas que também estão migrando.

Futuros desejáveis pra quem?

Numa pretensiosa tentativa de imaginar possíveis consequências futuras vejo 2 caminhos para nosso mercado de UX:

  1. Sob um viés positivo acredito que: 
  • A régua vai subir: a exigência pela qualidade e resultados entregues pelos profissionais e times de UX dentro das empresas vai aumentar, e isso nos leva ao próximo ponto;
  • Amadurecimento do mercado: acredito que o entendimento sobre UX tornará os critérios de seleção e manutenção dos times mais coesos. Haverá maior clareza sobre o que e como cobrar, contratar e mensurar UX nas empresas "não especializadas"; 
  • Estabilização dos salários:  com o amadurecimento do mercado é natural a estabilização das oportunidades e salários, diminuindo o número dos "modistas/oportunistas", isso tende aumentar o interesse genuíno no desenvolvimento das carreiras de UX;


  1. Com o "estouro da bolha" e sob um viés pessimista:
  • Desemprego: pode ocorrer uma quantidade massiva de demissões com a "potencial desilusão" com UX, quando perceberem que não existe super-herói;
  • Redução das oportunidades: com um grau de exigência maior e potenciais decepções em experiências anteriores, haverá uma resistência aos entrantes ou com baixa experiência na área. 

E para 2020 em diante, acredito verdadeiramente que a bolha de UX vai estourar e nós, como profissionais da área, precisamos ser muito honestos ao refletirmos se estamos contribuindo para inflar a bolha ou se estamos colocando nossos esforços para dar mais solidez ao nosso mercado. 

É tempo para se posicionar e dizer não às vagas com descrições e critérios duvidosos, não ao UX de Marketing, não aos salários absurdos para quem ainda não tem bagagem, não aos aproveitadores mal intencionados que exploram o hype do UX para fazer grana a qualquer custo. 

Precisamos ser mais economicamente maduros para que nosso mercado de UX torne-se cada vez mais forte e genuinamente relevante.

Não perca novos artigos no site e no podcast!
Não quero mais ver isso
Patrocinado:
Dados computados com sucesso!

(Essa mensagem não foi escrita por um UX Writer)
Vixi Maria! Algo errado não está certo...

Pode tentar de novo?

Se não conseguir, pode memandar um email que eu coloco seu nome da neswletter nem que seja na base do papel e caneta!

Vitor Guerra
vitor@pulegada.com.br
Thomaz Rezende Gonçalves
Head of UX
,
VALE DigitalLAB

Paulistano morando no Rio. Nipobrasileiro com 34 anos.Apaixonado pelas abordagens do Design Centrado no Usuário. Me interesso muito pelos paralelos e conexões conceituais fora do trivial e pela análise das motivações e comportamentos das pessoas. Hoje eu atuo como Head de UX do DigitalLAB da VALE.

A história por trás do Design 2020, via Design Team

Eurocentrismo, Identidade e Negritude

Wagner Silva
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Wagner Silva

O Design System nasceu! E agora? Como manter ele funcionando?

Thaise Cardoso
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Thaise Cardoso

Seu produto é honesto com o usuário?

Flávio Pires
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Flávio Pires

How might we…. Como [nós, designers] podemos construir um 2020 para nos orgulhar?

Letícia Pires
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Letícia Pires

Design estratégico - como a percepção sistêmica torna meu trabalho mais eficiente

Vilma Vilarinho
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Vilma Vilarinho

Uma visão holística de Acessibilidade, UX e Dados como soluções que atendam a todos

Liliane Claudia
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Liliane Claudia

Chegou a hora da nossa gente bronzeada mostrar seu valor

Guilhermo Reis
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Guilhermo Reis

Desenhar telas não vai salvar o mundo

Bruna Amancio
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Bruna Amancio

O choque das gerações para a liderança de design

Rodrigo Lemes
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Rodrigo Lemes

Vieses racistas: como combatê-los no design

Karen Santos
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Karen Santos

O criatividade das cavernas

Thalita Lefer
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Thalita Lefer

O que é o design centrado no usuário se não são as pessoas?

Priscila Siqueira de Alcântara
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Priscila Siqueira de Alcântara

Desenhando para gigantes

Fares Hid Saba Junior
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Fares Hid Saba Junior

Os próximos desafios do design

Anderson Gomes da Silva
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Anderson Gomes da Silva

Design como ferramenta de exclusão social

Diego Rezende
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Diego Rezende

Machine Learning e UX: insights e aprendizados (até agora…)

Carla De Bona
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Carla De Bona

A natureza contraditória de um Product Owner

Hélio Basso
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Hélio Basso

UX Como SAC

Richard Jesus
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Richard Jesus

Acessibilidade com foco no usuário

Elias Fernandes
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Elias Fernandes

É hora de falar de ética na construção produtos digitais

Ana Coli
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Ana Coli

Os desafios da pesquisa compartilhada

Desirée Sant'Anna Maestri
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Desirée Sant'Anna Maestri

O Design está morto. Longa vida ao Design!

Al Lucca
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Al Lucca

Design como um todo

Roberta Nascimento de Carvalho
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Roberta Nascimento de Carvalho

Você não sabe nada

Bruno Rodrigues
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Bruno Rodrigues

A visão cliente é o ponto de intersecção dos meus “dois mundos”

Denise Rocha
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Denise Rocha

Acessibilidade como ponte de empatia para o diverso

Livia Cristina Gabos Martins
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Livia Cristina Gabos Martins

Indo além das boas práticas de User Experience Design

Rafael Miashiro
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Rafael Miashiro

Caminhos; experiências e narrativas

Clécio Bachini
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Clécio Bachini

Os assistentes de voz e os desafios de desenhar interfaces conversacionais em 2020

Karina Moura
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Karina Moura

Como foi seu dia de trabalho?

Paola Sales
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Paola Sales

UX das Coisas: IoT, design e tecnologia na era dos dados

Thiago Barcelos
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Thiago Barcelos

O papel do designer está um pouco amassado. Como ele estará no futuro?

Caio Calderari
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Caio Calderari

O poder da visão holística e do posicionamento estratégico do UX

Priscilla Albuquerque
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Priscilla Albuquerque

Como fugir da mediocridade

JP Teixeira
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
JP Teixeira

Desenhando o futuro

Natalí Garcia
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Natalí Garcia

Projetar para durar. Uma análise crítica da nossa profissão e dos produtos que projetamos

Filipe Landu Nzongo
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Filipe Landu Nzongo

Formação e organização de times de Design

Victor Zanini
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Victor Zanini

Designers em (form)ação

Thiago Esser
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Thiago Esser

Design de produtos digitais em agências

Marcela Hippe
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Marcela Hippe

O bom design começa dentro de casa

Rodrigo Peixoto
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Rodrigo Peixoto

Vamos criar novos líderes?

Claudia Mardegan
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Claudia Mardegan

Reflexões sobre desenho de experiências com Inteligência Artificial e voz

Melina Alves
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Melina Alves

Aprenda a atender expectativas e nunca mais (ou quase) lide novamente com frustrações!

Marcelo Sales
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Marcelo Sales

Escolhi ser designer no Brasil, e agora?

Bernardo Carvalho Wertheim
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Bernardo Carvalho Wertheim

A importância de UI Design em um produto digital e a sua relação com UX

David Arty
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
David Arty

A (in)visibilidade da acessibilidade e inclusão nos eventos de Design

Ana Cuentro
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Ana Cuentro

Mais atividades, mais designers (e mais dificuldades)

Guilherme Gonzalez
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Guilherme Gonzalez

Empreendedorismo feminino em UX Design

Patricia Prado
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Patricia Prado

Ética e Privacidade: UX Research em Cidades Inteligentes

Raquel Cordeiro
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Raquel Cordeiro

Dia da Marmota

Daniel Furtado
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Daniel Furtado

Por que você precisa fazer a lição de casa

Mao Barros
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Mao Barros

O que você precisa saber sobre métricas para ser um UXer com uma visão 20/20

Allan Cardozo
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Allan Cardozo

O ensino do Design nos tempos de quarentena

Edu Agni
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Edu Agni
Design 2020 também está disponível como podcast.

Updates
periódicos!
Ouça no Spotify