O Design está morto. Longa vida ao Design!

Al Lucca
VP de Design
,
Axios
UPDATE:

A pandemia mudou tudo em 2020.
Por isso este artigo foi revisitado por quem escreveu em entrevista para o UXNOW com apoio da Deeploy.me

Imperdível!

Ouça este artigo

Artigo narrado por quem escreveu!

Nós temos muita sorte na vida, se você está lendo esse texto é porque provavelmente teve a chance de poder escolher a sua profissão, e pelo fato de fazer o que gosta, fica muito mais fácil passar horas e horas consumindo conteúdo relacionado a essa disciplina que tanto amamos, entramos em um ciclo de conteúdo que as vezes pode ser negativo, por exemplo, essa polarização na política. Mas o fato de você ler e ver e escutar conteúdo sobre design, vai fazer com que suas hipóteses sejam (quase) sempre validadas, artigos que pregam o lugar do designer na mesa de decisões - uhuuu… é isso aí, design liderando decisões… - ou que enaltecem o papel do design como um diferenciador que “finalmente” as empresas se deram conta de explorar, ou o famoso artigo que mostra o retorno financeiro que as empresas que investem em design tem em relação as outras, enfim, o vento sopra a favor, estamos aliviados que o mercado está faminto por design, que bom.

O tempo passa, e seu foco dentro do design vai mudando de acordo com a sua carreira, e questões um pouco mais amplas começam aparecer. Nas conversas que tenho por aí é fácil notar uma espécie de mal estar geral, e não estou me referindo a discussões sobre Figma vs Sketch ou design sprints, mas quanto o design é realmente protagonista e responsável pelo sucesso de um produto ou serviço, ou quanto tempo você deveria investir em estratégia a longo termo ao invés de pensar na execução de pequenas tarefas imediatas. Vejo muita relação com aquelas histórias de pessoas que foram até o fundo do poço para retornar com um significado maior da vida, passamos de conversas sobre as diferenças entre UX e UI para conversas mais elaboradas, por exemplo, de como balancear o poder de decisão entre produto, design e tecnologia. 

Quem ainda não leu o artigo do John Maeda - Design não é tão importante quanto imaginamos  - e os reports da Mckinsey e da Invision? Por favor tente ler, são documentos importantes para entender a nossa profissão hoje. E também, alimentos para a confusão criada na minha cabeça :), confusão essa que continua sendo alimentada por discussões cada vez mais constantes que vejo por aí. Ou seja, de um lado pessoas, veteranos da nossa disciplina questionando nossas responsabilidades e do outro documentos vendendo design como a solução para todos os problemas, é importante lembrar porém, que essas empresas vendem design, ou seja, é claro que vão colocar a nossa prática em um pedestal, será então que chegamos em um ponto de reset geral? Temos que matar o Design como conhecemos e criar um novo que nos ajude a evoluir? Me coloco as seguintes questões: 

Existe uma linha em que designers precisam deixar seu distintivo de protetor dos usuários de lado e entender necessidades da empresa que quase sempre representam pontos negativos na experiência?

Toda empresa precisar faturar, se você designer não levar em conta o modelo de negócio você faz um “desserviço” a nossa categoria, pelo simples fato de não mostrar valor, não justificar seu custo. As missões das empresas e seus times são sempre lindas e perfeitas, mas somente amor não coloca comida na mesa. Será que somos tão inocentes de acreditar que o banco X quer realmente dar uma experiência única para seus correntistas? Que a rede social quer conectar vc com seus amigos ao redor do mundo? Que a app de pedido de comida quer deixar sua vida mais fácil? Já pensamos no real impacto dos produtos que trabalhamos? Não, porque no fundo estamos somente fazendo nosso trabalho, assim como tantas outras pessoas em diferentes setores, e sinceramente eu acho que não tem nada de errado nisso. Seria então mais ético, se parássemos de vender a imagem de paladinos em defesa do usuário, e simplesmente entendêssemos melhor as engrenagens da indústria que você trabalha e fazer o melhor dentro das suas capacidades? 

Estamos gastando muito tempo pensando em estratégia e como defender o lugar do designer na mesa de decisões e esquecendo de entregar design de qualidade?

Faz tempinho que fico me perguntando isso, não consigo ver valor em investir tempo e dinheiro para criar páginas e mais páginas sobre processos, missão do time, documentos sobre sistemas, onde vamos, quem somos, onde estamos… aliens existem? Design system... tudo isso para um time de 4, 5 designers trabalhando em um MVP que ainda nem foi validado no mercado? O problema não é documentar, mas acredito que deveríamos nos preocupar mais em mostrar o impacto do design, começando por pequenos pontos que podem ser melhorados, funcionalidades/telas que devolvam um retorno quase que instantâneo e a partir daí sim, quando a empresa entender o papel do design na prática e seu time começar a crescer, você começa a aplicar essas lições e processos em níveis mais brandos. 

Se ficamos copiando funcionalidades um dos outros, somos realmente aqueles que trazem inovação?

O processo de design precisou se adaptar a era do MVP, o modelo usado em agências onde você pegava o briefing com o cliente, e voltava dois meses depois com a solução acabou, muitas empresas estão sofrendo para se adaptar a essa nova realidade. Mas voltando a questão, esse mesmo modelo que premia a velocidade, a evolução constante ao invés do “perfeito” acabou perdoando o fato de copiar ou simplesmente duplicar casos de sucesso, que quase sempre são medidos pelo retorno financeiro, ou seja, não arrisque, não crie, mas copie aquilo que funciona, custa menos e dá retorno, o podcast Wireframe da Adobe falou sobre isso recentemente. Pergunte-se, você realmente está usando um padrão de navegação por ser familiar ao usuário ou no fundo o que interessa é a conversão=retorno financeiro? Parabéns pra você que consegue achar o meio termo e convencer seus stakeholders que aquilo que funciona para a Amazon, não necessariamente vai funcionar no seu produto.

Estamos deixando de criticar design mal feito porque não podemos nos sentir ofendidos? 

Qualquer porcaria que seja publicada hoje vai receber elogios de todas as partes porque nos sentimos bem em dar feedback positivo, fazer com que as pessoas se sintam apoiadas, admiradas por terem “pelo menos tentado”… vemos marcas grandes soltando re-designs questionáveis, o mais recente foi o do Figma, que na minha opinião é assustador de tão mal feito que é aquilo, mas… a reação da comunidade é sempre homogênea, tudo é lindo e maravilhoso, não existe mais uma regra de estética, somos todos designers então qualquer coisa vale. Tínhamos um nível mínimo de estruturas visuais, ser diferente, tentar explorar uma nova linguagem não é a mesma coisa que soltar qualquer layout no ar e ver a comunidade de designers sendo auto-complacentes com high-fives recíprocos, como disse o John Maeda sem seu artigo.

Nós designers, por natureza temos um senso crítico muito grande, somos bons em aplicar isso em processos, regras, etc… visando sempre melhorar as coisas, mas somos extremamente defensivos quando discutimos o valor do que fazemos, sempre com respostas prontas pra tudo. Eu ainda acredito que design é importante sim, mas aquilo que antes era uma opinião blindada e pronta a ser defendida a ferro e fogo, começou a mostrar rachaduras. Já matei o velho Design na minha cabeça e estou tentando entender o novo Design, mas ainda tenho mais perguntas do que respostas, e sou consciente que essa discussão é maior do que eu, faz parte da maturidade da nossa profissão e sou feliz por fazer parte disso, longa vida ao Design!

---

Podcast ExPatria - www.expatria.co

The Design Edition Newsletter - thedesignedition.substack.com

Não perca novos artigos no site e no podcast!
Não quero mais ver isso
Patrocinado:
Dados computados com sucesso!

(Essa mensagem não foi escrita por um UX Writer)
Vixi Maria! Algo errado não está certo...

Pode tentar de novo?

Se não conseguir, pode memandar um email que eu coloco seu nome da neswletter nem que seja na base do papel e caneta!

Vitor Guerra
vitor@pulegada.com.br
Al Lucca
VP de Design
,
Axios

Sou Curitibano, formado em Desenho Industrial pela PUC-PR, me mudei para a Itália assim que terminei a faculdade, trabalhei em agências, editoras e estúdios de design até cair no mundo do design digital por volta do ano 2000. Desde então, já tive meu próprio estúdio e desde 2013 moro em NY onde tive a oportunidade de trabalhar para a ONU, para a Viacom (MTV, Nickelodeon, Comedy Central, Paramount entre outras marcas) e hoje estou na Axios. Em paralelo publico o ExPatria, podcast onde entrevisto designers brasileiros pelo mundo e escrevo breves textos na minha newsletter The Design Edition.

A história por trás do Design 2020, via Design Team

Machine Learning e UX: insights e aprendizados (até agora…)

Carla De Bona
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Carla De Bona

Reflexões sobre desenho de experiências com Inteligência Artificial e voz

Melina Alves
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Melina Alves

O bom design começa dentro de casa

Rodrigo Peixoto
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Rodrigo Peixoto

Ética e Privacidade: UX Research em Cidades Inteligentes

Raquel Cordeiro
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Raquel Cordeiro

Caminhos; experiências e narrativas

Clécio Bachini
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Clécio Bachini

Formação e organização de times de Design

Victor Zanini
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Victor Zanini

Como foi seu dia de trabalho?

Paola Sales
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Paola Sales

A visão cliente é o ponto de intersecção dos meus “dois mundos”

Denise Rocha
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Denise Rocha

Eurocentrismo, Identidade e Negritude

Wagner Silva
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Wagner Silva

Vamos criar novos líderes?

Claudia Mardegan
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Claudia Mardegan

Seu produto é honesto com o usuário?

Flávio Pires
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Flávio Pires

Os próximos desafios do design

Anderson Gomes da Silva
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Anderson Gomes da Silva

Designers em (form)ação

Thiago Esser
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Thiago Esser

Como fugir da mediocridade

JP Teixeira
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
JP Teixeira

Uma visão holística de Acessibilidade, UX e Dados como soluções que atendam a todos

Liliane Claudia
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Liliane Claudia

Por que você precisa fazer a lição de casa

Mao Barros
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Mao Barros

O criatividade das cavernas

Thalita Lefer
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Thalita Lefer

Mais atividades, mais designers (e mais dificuldades)

Guilherme Gonzalez
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Guilherme Gonzalez

Você não sabe nada

Bruno Rodrigues
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Bruno Rodrigues

A (in)visibilidade da acessibilidade e inclusão nos eventos de Design

Ana Cuentro
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Ana Cuentro

O ensino do Design nos tempos de quarentena

Edu Agni
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Edu Agni

Escolhi ser designer no Brasil, e agora?

Bernardo Carvalho Wertheim
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Bernardo Carvalho Wertheim

O poder da visão holística e do posicionamento estratégico do UX

Priscilla Albuquerque
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Priscilla Albuquerque

Indo além das boas práticas de User Experience Design

Rafael Miashiro
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Rafael Miashiro

Dia da Marmota

Daniel Furtado
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Daniel Furtado

How might we…. Como [nós, designers] podemos construir um 2020 para nos orgulhar?

Letícia Pires
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Letícia Pires

A importância de UI Design em um produto digital e a sua relação com UX

David Arty
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
David Arty

O que você precisa saber sobre métricas para ser um UXer com uma visão 20/20

Allan Cardozo
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Allan Cardozo

UX Como SAC

Richard Jesus
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Richard Jesus

Acessibilidade como ponte de empatia para o diverso

Livia Cristina Gabos Martins
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Livia Cristina Gabos Martins

Design de produtos digitais em agências

Marcela Hippe
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Marcela Hippe

Chegou a hora da nossa gente bronzeada mostrar seu valor

Guilhermo Reis
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Guilhermo Reis

Design estratégico - como a percepção sistêmica torna meu trabalho mais eficiente

Vilma Vilarinho
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Vilma Vilarinho

Design como um todo

Roberta Nascimento de Carvalho
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Roberta Nascimento de Carvalho

Desenhando o futuro

Natalí Garcia
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Natalí Garcia

A natureza contraditória de um Product Owner

Hélio Basso
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Hélio Basso

Aprenda a atender expectativas e nunca mais (ou quase) lide novamente com frustrações!

Marcelo Sales
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Marcelo Sales

O Design System nasceu! E agora? Como manter ele funcionando?

Thaise Cardoso
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Thaise Cardoso

O papel do designer está um pouco amassado. Como ele estará no futuro?

Caio Calderari
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Caio Calderari

Os desafios da pesquisa compartilhada

Desirée Sant'Anna Maestri
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Desirée Sant'Anna Maestri

Desenhando para gigantes

Fares Hid Saba Junior
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Fares Hid Saba Junior

Empreendedorismo feminino em UX Design

Patricia Prado
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Patricia Prado

O que é o design centrado no usuário se não são as pessoas?

Priscila Siqueira de Alcântara
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Priscila Siqueira de Alcântara

O iminente estouro da bolha de UX

Thomaz Rezende Gonçalves
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Thomaz Rezende Gonçalves

É hora de falar de ética na construção produtos digitais

Ana Coli
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Ana Coli

Acessibilidade com foco no usuário

Elias Fernandes
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Elias Fernandes

O choque das gerações para a liderança de design

Rodrigo Lemes
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Rodrigo Lemes

Desenhar telas não vai salvar o mundo

Bruna Amancio
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Bruna Amancio

Vieses racistas: como combatê-los no design

Karen Santos
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Karen Santos

Projetar para durar. Uma análise crítica da nossa profissão e dos produtos que projetamos

Filipe Landu Nzongo
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Filipe Landu Nzongo

Design como ferramenta de exclusão social

Diego Rezende
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Diego Rezende

UX das Coisas: IoT, design e tecnologia na era dos dados

Thiago Barcelos
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Thiago Barcelos

Os assistentes de voz e os desafios de desenhar interfaces conversacionais em 2020

Karina Moura
Revisado após a pandemia
disponível em áudio
Karina Moura
Design 2020 também está disponível como podcast.

Updates
periódicos!
Ouça no Spotify